Buscar
Home >> Informação Técnica >> Projetos >> Indústria >> Construtora TODA do Brasil

Construtora TODA do Brasil 

Jundiaí / SP



Projeto: Piso de concreto branco com Mastertop 100 High Refletive

Contratante: Construtora TODA do Brasil

Especificação de Produtos, Metodologias de Execução de Serviço e Supervisão Técnica da Obra: Casa D´Água Tecnologia para Construção

Execução: Construtora TODA do Brasil (São Paulo)

Localidade: Jundiaí / SP

Data: Julho/2005

Distribuidora: Casa D’ Água Materiais para Construção de Americana Ltda.

Produtos Utilizados:
Mastertop 100 High Refletive - Endurecedor de superfície à base de agregados minerais
Confilm - Redutor de evaporação superficial
Masterkure 201 - Agente de cura para concretos e argamassa
Epolith P - Selantes semi-rígidos para juntas, a base de epóxi bicomponente
Ultra - Selante monocomponente tixotrópico à base de poliuretano com elevado desempenho
Primer 733 - Primer para selantes
Gleniun 51 - Aditivo superplastificante de nova geração desenvolvido para a indústria de concreto em geral
Mastermix 394 N - Aditivo Plastificante Polifuncional redutor de água

Segmento de Mercado: Indústria

Área Total: 800 m²

Descrição:
A fabricante de louças sanitárias estava construindo uma nova área em Jundiaí, dentro de suas instalações para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, novos laboratórios e departamento administrativo.

Essa nova área precisava receber um piso resistente, claro e de fácil manutenção, sendo que as opções eram pisos cerâmicos, porcelanatos e pisos epóxis, que não atendiam as necessidades do cliente, quanto a durabilidade, manutenção e estética.

Desafio:
Foram realizadas várias visitas às obras com acompanhamento da construtora e do departamento de engenharia do cliente, para levantar todas as necessidades do projeto.

Ficou constatado a necessidade de execução de um piso que fosse claro e resistente ao desgaste por abrasão de pó e resíduos de porcelanas gerados na fabricação de louças sanitárias, além do que, a manutenção deveria ser fácil e barata, com baixo custo.

A cor clara era uma necessidade devido ao fato da poeira gerada pelas cerâmicas ser branca. Sendo assim, qualquer cor com tons mais escuros no piso evidenciaria demais a sujeira e dificultaria muito os trabalhos de limpeza das salas e laboratórios.

As opções em revestimentos com pisos cerâmicos, mesmo que branco, criam nos ambientes de trabalho condições inseguras com riscos de acidentes, pois ficam “escorregadios” com a deposição de poeira sobre o mesmo, além dos esmaltes das cerâmicas acabarem sendo desgastados com o trânsito sobre elas. A manutenção deste tipo de piso acaba ficando muito cara, pela necessidade de trocas constantes e demoradas e também pela necessidade de interdição das áreas após o início da produção. Já as opções em revestimentos em epóxi não suportariam também os esforços abrasivos, exigindo manutenções constantes.

Após várias reuniões, foi sugerida a execução de piso de concreto com acabamento de Mastertop 100 High Refletive, que apresenta bom aspecto, é resistente ao desgaste e a impactos e proporciona fácil limpeza com baixo custo de manutenção.

Foram solicitadas pelo cliente referências de obras e aplicadores, que após visitas, consultas e avaliação de custo x benefício do produto, optou por executar a proposta apresentada pela Casa D’Água.

Solução:

Inicialmente, foi sugerida a execução de piso de concreto convencional com seu devido dimensionamento e acabamento com aplicação de Mastertop 100 High Refletive.

As características sugeridas para o pavimento do concreto foram:
• Cimento CPV ARI
• Relação A/C = 0,5
• Teor de Argamassa: entre 48% e = 52%
• Resistência: 30 Mpa – Espessura: 14 cm – Slump: 120 mm + 20 mm

Deveria ser aplicado reforço secundário com fibras de polipropileno Masterfiber com consumo de 0,6 Kg/m³. No acabamento superficial do pavimento, deveria ser utilizado MASTERTOP 100 High Refletive com consumo mínimo de 6,0 kg/m², que é um endurecedor superficial colorido para o concreto com a função de impedir o desgaste prematuro do pavimento por abrasão, dando acabamento colorido ao concreto.

Durante a fase em que o concreto fica em “repouso” aguardando o tempo de endurecimento para início dos trabalhos de acabamento, deveria ser utilizado CONFILM, como agente de cura, para diminuir a evaporação da água e evitar fissuramentos. Também deveria ser realizada cura química do concreto com Masterkure 201.

As juntas serradas e de construção do pavimento deveriam ser tratadas com EPOLITH P, sobre suporte de cordão de polietileno expandido, sendo o consumo estimado para juntas serradas de 10,00 metros para cada quilo de EPOLITH P. Esse selamento deverá ser feito no mínimo após 60 dias do concreto curado, ou de preferência após 180 dias, se as condições de utilização da área assim permitirem.

As juntas perimetrais ativas e passivas do pavimento devem ser tratadas com ULTRA, sobre suporte de cordão de polietileno expandido, e PRIMER 733, sendo o consumo estimado para juntas de dilatação com 10 mm X 10 mm, de 3,0m por cartucho com 300 ml. Esse selamento deverá ser feito no mínimo após 60 dias do concreto curado, se as condições de utilização da área assim permitirem.

A solução adotada após reunião com a construtora, com o projetista e com o departamento de engenharia do cliente foi a seguinte:

• Execução da concretagem do pavimento com cimento estrutural branco CAUE com aplicação de Masertop 100 High Refletive no acabamento com consumo de 4kg/m².
• O concreto fornecido para a execução do pavimento foi aditivado com 0,5% de Mastermix 394 e 0,3% de Glenium 51, com teor de argamassas de 50%, slump 12 e adição de fibra de aço (determinado pelo projeto estrutural).
• A cura foi executada com manta de cura e muita água por sete dias seguidos.
• O tratamento de juntas serradas e juntas de dilatação ainda não foram executados, e estão aguardando período recomendado de 180 dias.

Conclusão:
A solução adotada para execução do pavimento atendeu as expectativas do cliente quanto ao tempo de liberação das áreas, estética, manutenção, condições de uso, claridade e limpeza do ambiente.




Aplicação de MASTERTOP 100 High Refletive




Concreto com aplicação de Mastertop 100 em processo de cura (parte branca)




Lançamento do concreto estrutural branco




Processo de cura de MASTERTOP 100



Piso de concreto com lançamento de MASTERTOP 100

DisclaimerCreditsData ProtectionCopyright BASF S.A. 2009
BASFCC.Moss.Core.wsp 1.0.0.12 - S:24 T:1/10/2014 22:23:14